Já conhece o nosso conceito?

Ora bem, desde que assumi publicamente a minha persona culinária que me pergunto porque é que não há aventais giros.

Aquando da publicação do NHOM NHOM, em 2017, pedi à minha excelsa costureira, Rosário Balbi, que confeccionasse um avental para utilizar quando fosse a showcookings e programas de televisão promover o livro. Fiz três exemplares: um para mim, um para a minha Mãe e outro para a minha Filha. Esse avental, sempre que aparece, perguntam-me por ele.
De onde é?
Fui eu que fiz.

Depois a Cristina convidou-me para tomar conta das suas cozinhas, e os meus aventais passaram a ser todo um tema: queria uns giros mas não havia, comprei alguns mais fora do comum, mas acabo sempre por regressar aos meus antigos, herdados das Avós, comprados em antiquários, na Feira da Ladra, bem estafados, cheios de patine, que estão prestes a desfazer-se. Os das lojas não me davam grande frisson.
Vou usando os meus, porém sempre em busca do avental encantado!…

Surgiu então a oportunidade de traduzir o meu segundo livro, editado no final do ano passado, O DA JOANA, para uma série que estreia a 17 de Maio de 2021 no 24Kitchen, e pensei: É DESTA! VOU FAZER OS MEUS PRÓPRIOS AVENTAIS!

Como só sei fazer desta forma, pus isto em prática entre amigues: liguei à Inês para me ajudar a conceber o block print dos aventais com uma mensagem simples, que é aquela que desejo difundir nesta aventura da performance culinária em vários formatos e que faz parte do livro: COZINHAR É UM SUPERPODER. Depois liguei ao Celso dos Bispos encomendar tecidos, fui conhecer a Marta da Lavandaria, responsável por várias peças maravilhosas que possuo/conheço, e que serigrafou os tecidos, e depois disso tudo fui para o ateliê da minha Rosário inventar serviço. Fizemos três modelos diferentes, produzimos quatro exemplares e no dia em que começámos a gravar, estreei o primeiro. Depois o segundo, depois o terceiro, depois o quarto. E depois comecei a chatear o Fábio, que é um Santo e que está comigo em todos os backoffices desta vida a criar espaços virtuais de sonho!

E o meu Carlos. Sempre o meu brilhante Carlos a traduzir para imagens sublimes todos os meus pedidos.

Os ARMAZÉNS BARRIOS são a minha modesta e humilde casa, onde vendo o que gosto de fazer, devagarinho, ao meu ritmo. Os ARMAZÉNS BARRIOS são um espaço comercial megalopsíquico, onde irão estar à venda os objectos que ando sempre a inventar. Edições limitadas, curtas, demoradas no fazer, mas que ficam para a vida.

Se algum dia pensei que iria estar a confeccionar aventais para comercializar? Não. Mas a graça da coisa é mesmo essa!